terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Maxi me

Pensando bem, acho que nós mães temos uma certa dificuldade em aceitar que os filhos crescem e que todo o dia quando a gente acorda eles já não são mais como ontem, quando a gente colocou aquele bebê para dormir.

Confesso. É uma tristezinha disfarçada de alegria se dar conta que a gente não pode esticar o tempo tanto quanto eles esticam diariamente. Tenho sentido muito isso. Ainda mais quando olho fotinhos de babies de amigos meus, ouço pais orgulhosos contarem coisas sensacionais de seus filhos (que depois a gente percebe que toda criança faz parecido) e vejo carrinhos com pezinhos gorduchos pulando para fora. Ao mesmo tempo que lembro de cada pedacinho, cada novidade, cada diálogo, tenho a sensação de que não tenho devidamente registrada a vida dela para eu assistir e dar um review toda vez que me der saudade. Parece que eu não vou conseguir guardar tudo na memória e vou relembrar sempre as mesmas histórias, as mesmas fotos, as mesmas cenas. Neura de mãe. Papo de velha.

Mesmo falando o tempo todo que a minha filha cresce loucamente e sabendo que isso além de normal é tudo que uma mãe saudável quer na vida, minha cabeça sempre lembra dela menor do que ela realmente é. Principalmente se estivermos longe uma da outra. E eu que vivo dizendo "ela já tem 5 anos", quando convém digo "mas ela só tem 5 anos!!"

Hoje fui comprar uma fantasia de carnaval pra ela. Ah, momento ultra especial e sonhado pra viver um personagem de um filme da Disney. Sozinha, fiz a festa e comprei a mais linda fantasia da Tinker Bell, que ela A-M-A. E como uma criança que não esticou, passei o dia feliz, louca pra chegar em casa e ver ela saracotear com as asinhas brilhantes e o vestido farto. Felicidade quase completa e escolha mais que acertada. Não fosse tudo, do vestido à sapatilha, ficar indiscutivelmente pequeno. Fon-fon-fon-fon...

Rebobinei (papo de velha de novo) o meu dia pra cena da loja. "Imagina, essa sapatilha é grande demais, quase serve em mim. Ela só tem 5 anos". Esse vestido aqui dá até o ano que vem, é tamanho 6 e ela só tem 5 anos". Claro, pela minha lógica, se ela tá calçando 30, eu que sou a mãe tinha que calçar no mínimo 50 e não 35. E se ela tem 5 e os tamanhos são de 2 em 2, comprar a tamanho 6 é no mínimo mais óbvio que comprar o 8.

Mas nem tudo funciona conforme a minha lógica. E ela, que é minha filha e é a minha cara, não só estica todo o dia, como indica que a mini Cris, como muitos dizem, na verdade vou ser eu.

2 comentários:

Lu disse...

Adorei!!! Vocês duas, maxi ou minis, são ótimas.
E quando a Tati voltar do seu giro pelo país, vamos marcar um happy hour.
Beijão

LuRodrigues

Juliana disse...

Cris êh impressionante mas o tempo tem voado com o bruninho. Hj ele tem SO 5 meses e me parece que tudo passou tão rápido. Socorro!! Pensei que só eu tinha essa neura de mae de primeira viagem de ficar querendo registrar tuuuuuuuudo. Mas êh que eles são tão especiais, Ne? Bjssss Ju e Bruninho